A propaganda procura captar alguma necessidade do consumidor para atingir o objetivo da empresa, que é vender seus produtos, e a música favorece essa captação…

 http://www.youtube.com/watch?v=-7vO0sWI_mc

Postado por: Ana Tereza

Data: 14/10/2009

http://www.youtube.com/watch?v=SkELRp4wKPs

Postado por: Aline Mateus

Data:14/10/2009

http://www.youtube.com/watch?v=erjTn3o0TQo

Postado por: Aline Mateus

Data: 14/10/2009

http://www.youtube.com/watch?v=IZEoN4SS_8w

postado :Aline mateus

Data:14/10/2009

http://www.youtube.com/watch?v=shNjOJwWW1g

melhor comercial de 2009

Postado:Aline Mateus Data:22/11/09

A musica a cada dia ser tomar um jogo de marketing,para  anuncia uma marca ou propaganda.Como aconteceu nesse desfile.  

http://www.youtube.com/watch?v=NXuVztqSnzw                           

http://www.youtube.com/watch?v=PZVfx8orEjw  

Comercial Globo

Grande Família assim
Vira Zorra Total
quando rola um auê
Sai até no Jornal Nacional

Vale a Pena de Novo
se ver na TV
É Casseta de outro Planeta
Dá pra ver Estrelas

Toma Lá, Dá Cá
É Fantástico ter o Faustão
O Jô e o Didi
juntos num Caldeirão
Com alegria até Altas Horas

Eu pude notar
Me liguei que o Globo Esporte
é Espetacular
Tomei Cìência da Ecologia

Da Periferia
Da terra e da gente
O filme depois da Novela
Deixa a Tela Quente
Mas quem te viu
quem te vê Globinho
Como você cresceu!

Assisti outro dia no Vídeo
o show que você deu
Globo Repórter é BBBeleza
E pra ser Mais Você
é muita Malhação

Mais uma vez
É o time da Globo
que é campeão
Não é mole não meu irmão
Não é mole não
A vida imitando a arte

Isso é globalização
Não é mole não meu irmão
Não é mole não
A vida imitando a arte
Isso é globalização plim plim…

Samba da Globalização é um jingle encomendado pela Rede Globo ao cantor Arlindo Cruz. Foi composto por ele, Hélio de La Peña, Franco Lattari e Mu Chebabi. A Globo pediu a ele que fizesse um samba que envolvesse toda a programação da Globo, exceto as novelas no ano de 2008. O jingle fez tanto sucesso que mereceu uma segunda versão no ano de 2009, porém, excluindo alguns programas e colocando outros necessários. O jingle também serve para “avisar” a proximidade do carnaval.

Comentem sobre as músicas postadas.

Publicado por: Danilo Spinola

Vídeo de alguns jingles de rádios que eram ouvidos antigamente.

http://www.youtube.com/watch?v=PEbcnbjQQUg

http://www.youtube.com/watch?v=z5jVJAh5jCU 

História do Olodum

O Olodum é um bloco-afro do carnaval da cidade do Salvador na Bahia. Foi fundado em 25 de abril de 1979 durante o período carnavalesco como opção de lazer aos moradores do Maciel-Pelourinho, garantindo-lhes assim, o direito de brincarem o carnaval em um bloco e de forma organizada. É uma Organização não Governamental (ONG) do movimento negro brasileiro.

Ações desenvolvidas

Desenvolve ações de combate à discriminação racial, estimula a auto-estima e o orgulho dos afro-brasileiros, defende e luta para assegurar os direitos civis e humanos das pessoas marginalizadas, na Bahia e no Brasil.

Fundadores

  • Carlos Alberto Conceição do Nascimento – Presidente
  • Geraldo Miranda – Vice-Presidente
  • José Carlos Conceição do Nascimento – Secretário
  • José Luiz Souza Almeida – Secretário
  • Francisco Carlos Souza Almeida – Diretor de Som
  • Antônio Jorge Souza Almeida – Tesoureiro
  • Edson Santos da Cruz – Relações Públicas.

Bando de Teatro

O Bando de Teatro Olodum é um grupo teatral que foi criado vinculado ao bloco-afro, formado por atores negros em 1990.

Com o passar dos anos, o Bando de Teatro Olodum se desvinculou do bloco-afro, e passou a residir no Teatro Vila Velha. Graças à ocupação do Bando, o espaço foi revitalizado, em 1994 começou a ser reformado, e em 1998, reinaugurado. O Bando está no Teatro Vila Velha até hoje e por ele passaram grandes nomes, como o ator Lázaro Ramos, por exemplo.

Focado nas questões do negro brasileiro em seus diversos aspectos, o Bando, como é mais comumente chamado, desenvolve uma linguagem própria em um formato de Teatro Experimental Negro.

Escola Olodum

A Escola Olodum tem como missão o desenvolvimento da cidadania e preservação da cultura negra, oferecendo um saber afro brasileiro e novas formas de conhecimentos adicionais àqueles adquiridos no sistema formal de ensino.

Esse projeto pioneiro de educação popular afro brasileiro teve origem no projeto Rufar dos Tambores, desenvolvido em 1984, pelo Olodum, composto de aulas gratuita de percussão de bloco afro, e dos cursos afro – brasileiros de curta duração.

Inicialmente visava atender uma solicitação da comunidade do Maciel/Pelourinho para que fosse formada uma banda de percussão integrada por crianças e adolescentes do bairro.

Eles viviam em situação de risco e vulnerabilidade social e sem perspectivas de integrar-se socialmente por conta do estigma marginal que na época existia contra os moradores da área.

[editar] Referência nacional e internacional

A Escola Olodum tornou-se um espaço real de participação e expressão da comunidade negra. É hoje uma referência nacional e internacional pela inovação no trabalho com arte, educação e pluralidade cultural.

Estimulou o surgimento de iniciativas similares, como

  • Grupo Afro Reggae-(RJ)
  • Grupo Unidos do Quilombos (SE)
  • Projeto Régua e Compasso
  • Arte no Dique (SP)

E em Salvador:

  • Bagunçaco
  • Pracatum
  • Escola Mãe Hilda
  • Instituto AraKetu
  • Projeto Axé

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: